Editar

Bernardo Brito e Faro
Sogrape Vinhos |Administrador Executivo
MBA Executivo 2003/2004

“Presentemente, sou administrador executivo da Sogrape Vinhos, respons√°vel pelas √°reas Financeira, Recursos Humanos, Sistemas de Informa√ß√£o, Patrim√≥nio e Manuten√ß√£o, Servi√ßos Gerais e Auditoria Interna.

Os meus dias são de enorme intensidade, onde a diversidade e complexidade dos assuntos que me são diariamente colocados e a urgência solicitada relativamente a uma reação ou posição minha, me obrigam a um permanente estado de atenção, alerta e disponibilidade, onde a gestão do tempo ao minuto, é crítica.

Naturalmente, perante tamanha responsabilidade exige-se permanente proficuidade e eficiência. Por isso, frequentemente descrevem-me como trabalhador, metódico, equilibrado, organizado e sério.

Estabelecer desde muito cedo objetivos profissionais e pessoais a m√©dio e longo prazo, foi sempre o fator orientador do meu percurso profissional. Nesse sentido, fez parte deste meu percurso a entrada na Arthur Andersen, √ļnica entidade a quem concorri no in√≠cio da minha carreira. Sabia de antem√£o que era aquela onde queria come√ßar. Volvidos 10 anos, permitiu-me adquirir um n√≠vel de experi√™ncia e conhecimento que possibilitou mais tarde abra√ßar o desafio que me foi colocado: ingressar no Grupo Sogrape.

A minha passagem pela Arthur Andersen e o contacto com um leque alargado de realidades distintas deram-me uma bagagem s√≥lida e determinante que permitiu enquadrar-me rapidamente numa organiza√ß√£o inteiramente nova, com grande desempenho ao n√≠vel da responsabilidade e detalhe. O meu percurso acad√©mico condicionou todo o meu percurso profissional. N√£o foi por acaso que tirei a minha licenciatura na Faculdade de Economia da Universidade do Porto, da mesma maneira que n√£o foi um acaso a minha participa√ß√£o em in√ļmeras forma√ß√Ķes na Arthur Andersen. O curso de Revisor Oficial de Contas, e o MBA Executivo na EGP-UPBS, proporcionaram-me uma base s√≥lida de forma√ß√£o que, complementada com a pr√°tica di√°ria em ambientes t√£o diferentes, me garantem um suporte adequado √†s fun√ß√Ķes que fui exercendo e que hoje desempenho.

Dito isto, posso afirmar que o sucesso do meu projeto profissional é resultado de uma conjugação de momentos. No entanto, a opção pela área económico-financeira é uma escolha inspirada e refletida. Foi um aspeto crítico e determinante para conquistar o respeito e confiança de quem me atribuiu as responsabilidades que exerci e exerço.

Para al√©m desses momentos, devemos sempre ser determinados, ter consci√™ncia das pr√≥prias capacidades e limita√ß√Ķes, potenciando as primeiras e tentando ultrapassar as √ļltimas. Estabelecer metas ating√≠veis e procurar alcan√ß√°-las ainda que o caminho seja longo e dif√≠cil. Considero que √© tamb√©m essencial saber manter um equil√≠brio saud√°vel entre a dedica√ß√£o profissional e a vida pessoal. Lutar muito e trabalhar com efic√°cia √© determinante. E claro, manter a atualiza√ß√£o profissional e pessoal.

Para as gera√ß√Ķes futuras gostaria de deixar o seguinte conselho: √© importante que n√£o se precipitem na gest√£o da vossa carreira e sejam muito ponderados no momento de tomar decis√Ķes. A busca constante da excel√™ncia, ainda que nunca atingida, √© uma garantia de sucesso a prazo. Sem trabalho, dedica√ß√£o e atualiza√ß√£o constante, n√£o √© poss√≠vel atingir o que procuramos. Por √ļltimo, devemos ter conhecimento das nossas pr√≥prias limita√ß√Ķes e capacidades para que seja poss√≠vel definir claramente as metas a alcan√ßar. √Č a melhor forma de combater o des√Ęnimo e a falta de confian√ßa.

Quanto aos futuros alunos do MBA Executivo, tirem o m√°ximo proveito desta forma√ß√£o para a colocar em pr√°tica ap√≥s terminada. No entanto, nunca se esque√ßam que n√£o basta conclu√≠-la e os resultados aparecer√£o. Embora o MBA possibilite mais crit√©rio na escolha das oportunidades que v√£o surgindo, o esfor√ßo e a exig√™ncia ser√° aumentado. O MBA Executivo ser√° apenas mais um passo na senda do sucesso, mas h√° muitos outros de que ele tamb√©m depende. As expectativas ter√£o de ser moderadas e n√£o se deve ficar √† espera do sucesso. Devemos sim, procur√°-lo mais intensamente com uma nova ferramenta geradora de possibilidades.”